Crianças de Batatais viram ‘super-heróis’ na luta para reduzir os danos do AVC em familiares

23/11/2022

Crianças de Batatais viram ‘super-heróis’ na luta para reduzir os danos do AVC em familiares

O projeto educativo Fast Heroes já é uma realidade em Batatais e, com isso, alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Padre Benito de Uriarte Erbastrain estão sendo ensinados, de forma lúdica e com linguagem adequada, a identificar os principais sintomas de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), bem como a importância de socorrer o paciente rapidamente, evitando assim sequelas e mortes ocasionadas pela doença.


O Fast Heroes acontece em Batatais por meio de um trabalho conjunto entre as secretarias de Educação e Saúde, em parceria com a Boehringer Ingelheim, por meio da Iniciativa Angels. O programa teve origem no departamento de Educação e Políticas Sociais da Universidade da Macedônia (Europa).


A iniciativa considera que é relativamente comum crianças passarem bastante tempo com os avós e que, além de aprenderem sobre a doença, os pequenos se tornam multiplicadores de informações.


Os treinamentos em contexto escolar têm duração de uma hora e são desenvolvidos a partir da temática de super-heróis. Nas aulas, são apresentados três super-heróis –Vovô Simão (Sorriso), Vovô Bruno (Abraço) e Vovó Fiona (Fala)- com seus superpoderes e que simbolizam cada um dos sinais de um quadro do AVC.

O antagonista da história, vilão “Coágulo”, precisa ser combatido pelo Tiago, neto dos super-heróis avós, ensina as crianças a agir rápido ao suspeitar de um AVC: ligar para o 192 (Samu).


Segundo a secretária de Saúde, Bruna Toneti, neste primeiro momento, crianças de primeira a quinta séries (5 a 9 anos) estão participando da ação. Ao todo, cerca de 320 alunos e 15 professores terão recebido o treinamento ao final do projeto.


A ideia, explica Bruna, é ensinar as crianças sobre os principais sintomas relacionados a um AVC para identificação e pedido de ajuda médica: alteração do sorriso; alteração da força; e alteração da fala.

“É encantadora a participação das crianças no projeto, onde todos querem ajudar a salvar vidas e se tornarem grandes super-heróis na saúde. Sabemos que o AVC acomete, principalmente, os idosos, que são os avôs e as avós nos quais as crianças passam mais tempo.

Os estudos mostram que 1 a cada 4 pessoas pode ter um AVC ao logo da vida. As crianças serão preparadas para saberem como agir na ocorrência de um AVC, o que é muito valioso para nossa sociedade!”, afirma a secretária.


PROGRAMAÇÃO
O projeto tem cinco encontros agendados, com duração média de uma hora cada, onde as crianças realizam diversas atividades educativas e ainda têm a oportunidade de conhecer o Samu e sua ambulância, recebendo, ao final, um diploma de “formação” como super-herói.

Posts Relacionados

Marcadores

Compartilhe